Geralmente quando falamos em protótipo, a primeira sensação que as pessoas tem é que se trata de desenhar telas em alguma plataforma de prototipagem estilo Adobe XD ou Sketch. Pois bem, protótipos não necessariamente são telas, e podem ser criados de inúmeras maneiras (alguma talvez até te surpreenda). Confira.

Protótipo de papel / papelão

Além de funcionar também como uma forma de desenhar telas, podemos utilizar o papel de diversas maneiras para criar protótipos. Imagine que você esteja, por exemplo, criando um painel de máquina de lavar roupas, e precise validar posição, tamanho e funcionalidade de seus elementos (botões, telas, etc).

Protótipo de caixa eletrônico feito com papelão

Um protótipo de produto em média ou alta fidelidade, custa muito caro e leva tempo para ficar pronto. Um painel de máquina de lavar roupas pode ter seu protótipo impresso em 3D, que seria uma forma relativamente barata de validá-lo em testes com usuários, no entanto, demora para criar os arquivos, mandar para impressão, montar. E se você construísse uma primeira versão em papelão (ou cardboard, como preferir)? No caso seria um protótipo de baixa fidelidade, mas se tratando de dúvidas básicas, pode funcionar e vai ser super rápido e barato fazer interações.

Protótipo de Lego

Protótipo de fluxo de serviço feito com Lego e post-its (foi feita uma encenação também)

Quando realizo dinâmicas de prototipação em que existem fluxos ou processos a serem criados, uma forma de tangibilizar é utilizando blocos de montar (Lego ou outros). Além de ser uma atividade bastante lúdica (é uma delícia ver um monte de adultos “brincando” de Lego e exercitando sua criatividade) o Lego é uma ferramenta muito fácil de usar e de iterar. É possível representar interfaces, serviços, fluxos de atividade, processos inteiros através de maquetes construídas com blocos coloridos.

Storyboarding / Quadrinhos

Outra ferramenta bem interessante para construção de ideias é o desenho puro e simples. Mas através de uma contação de história (storytelling), como em quadrinhos, as pessoas expressam a utilização de um produto, um fluxo de serviço, um novo processo através de quadrinhos.

Storyboarding facilita a representação de processos e fluxos

Fácil, lúdico, intuitivo e de rápida adaptabilidade e iteração. Algumas pessoas podem ficar tímidas, achando que é preciso talento para desenhar ou coisa parecida, por isso é importante deixar à cargo da escolha das pessoas qual método utilizar.

Apresentação / Dramatização / Jogral

Vale tudo para vender sua ideia, caso seja mais difícil tangibilizar. Nas dinâmicas que facilitei, já vi sairem vídeos de teasing de produto (feitos na hora, com celular mesmo), powerpoints improvisados, propaganda estilo Polishop feita ao vivo, etc. A dramatização pode ser uma ferramenta poderosa para despertar interesse e curiosidade, gerar engajamento.

Maquete tridimensional

Quando se tem diversos materiais disponíveis, uma maquete pode ser uma ótima escolha para protótipo. Construída com o que estiver à mão, sem se preocupar com proporção ou mesmo lógica das leis da física, o importante é exercitar a criatividade para demonstrar seu ponto de vista, sua ideia, sua proposta de solução para o problema apresentado, seu novo produto.

Maquete de estação de tratamento de água (referência)

E você? Conhece outras formas de prototipação que fogem da criação de interfaces em telas de computador? Compartilha com a gente nos comentários.

Tags:, , , ,

Leave a Reply